Setembro 16, 2021

FVO Site

Encontre as últimas notícias do mundo de todos os cantos do globo no site FVO, sua fonte online para cobertura de notícias internacionais.

Montanha russa na educação brasileira

Nas últimas duas décadas, o Educação Organização Brasil Altos e baixos experientes. No geral, os políticos fazem tudo errado. Mas há exceções: uma pequena cidade em uma das regiões mais pobres do país atinge níveis educacionais comparáveis ​​aos de países ricos.

A ascensão e queda da educação no Brasil

Em 2009, Economista O Brasil disse que “não é mais o último da classe”, uma referência aos ganhos do país em educação, medidos pelo Programa Internacional de Avaliação de Alunos (PISA). Os estudantes brasileiros de 15 anos que foram testados em leitura, matemática e ciências se saíram muito melhor do que nos anos anteriores. O progresso foi suficiente para impressionar Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), que escolheu o Brasil como estudo de caso – um sucesso óbvio.

No entanto, com o resultado da Pizza 2019, a próxima década diminuirá a empolgação Ranking O Brasil ocupa a 53ª posição entre 65 países. Conforme declarado nele Banco Mundial, No ritmo atual, o Brasil “não atinge a pontuação média do país mais rico em matemática há 75 anos. Em leitura, leva mais de 260 anos. “O que aconteceu com a educação no Brasil? Por que sua qualidade estagnou? O que os formuladores de políticas podem fazer para colocá-lo de volta nos trilhos?

Quando (quase) tudo dá errado

Ao avaliar o sistema educacional brasileiro, pode-se dizer que o país está fazendo tudo (quase) errado, mas não exclusivamente, focando mais em gastar mais com educação, priorizando mais (qualidade) e investindo menos nos professores – justamente isso.

Para começar, mais dinheiro é frequentemente apontado como uma solução para vários problemas. Vai acontecer Passa no brasil A cada ano, a educação é responsável por cerca de 6% do PIB, mais do que seus vizinhos Colômbia (4,7%), Chile (4,8%) e Argentina (5,3%) – e países (ricos) da OCDE (em média 5,5%).

READ  Desmatamento na Amazônia piora apesar das promessas presidenciais brasileiras - Mercoprus

Esses custos adicionais para a educação não se traduzem em maior aprendizagem; Isso realmente criou incompetência. Surpreendentemente, o Brasil é Anunciado Ele tem que gastar 62% a mais do que deveria para atingir os mesmos resultados e pode melhorar seu desempenho (tanto em termos de taxas de aprovação quanto de aproveitamento do aluno) com o mesmo montante de custos de até 40%.

Talvez a questão seja como o dinheiro é investido. Nas últimas duas décadas, o Brasil Aumentou significativamente O número de alunos na escola; No estoque de 18 a 24 anos Universidade Ele dobrou para 43% – bom para a metade mais pobre da população, de 16% para 25% no geral. A admissão não gosta de qualidade com expansão, e apenas quantidade Errôneo. Como Land Bridget insiste, “Manter as crianças‘ na escola ’é simplesmente uma Sujeito Muito básico Objetivos Desenvolvimento de habilidades e realização de aprendizagem. “

Na verdade, não só no Brasil Outros países em desenvolvimentoSe o acesso à educação foi um problema no passado, agora a falta de aprendizagem está se tornando um grande desafio – “Alcançar Escolaridade para todos (Que Aprendizagem para todos) Uma conquista importante, mas vazia. “Por que é que?” Pesquisadores Mostrar melhorias na renda, produtividade e bem-estar Fortemente relacionado Com aprendizado, mas moderadamente relacionado à escolaridade.

Investir e abordar a educação não é uma explicação, e os maus resultados podem ser calculados pela qualidade dos professores. Na verdade, estudos mostram que a parte mais importante da equação de aprendizagem são os recursos humanos, e não os materiais escolares e a estrutura corporal, que os professores O principal determinante Qualidade escolar.

Isso é relevante porque o sistema de ensino no Brasil é caracterizado por professores de baixa qualidade. No entanto, sabe-se que a baixa proporção aluno-professor, ou seja, grande número de alunos por professor, remete a outra característica do sistema brasileiro. Baixo desempenho acadêmico. Portanto, antes de culpar todos os professores, “barreiras estruturais, como sindicatos de professores fortes, padrões de ensino fracos, integração nacional deficiente e uma divisão significativa entre escolas públicas e privadas devem ser consideradas”.

READ  Um incêndio eclodiu no armazém da Companhia Nacional de Cinema do Brasil

Então se trata de política. Ao longo dos anos, o Brasil promulgou leis que tornam quase impossível a reprovação dos alunos. Reformas da montagem, mesmo que os alunos não aprendam o suficiente para passar para a próxima aulaMelhoria continua“Eles fazem questão de seguir em frente e, eventualmente, terminam seus estudos – mesmo que não tenham aprendido nada. Em termos de estatísticas, escolaridade significa sucesso. O problema é que as habilidades, aptidões e resultados de testes não são excessivamente sensíveis aos diplomas. Não é de surpreender que mais da metade dos jovens brasileiros concluam o ensino médio. Alfabetização funcional Ainda mais de 70 por cento.

Trabalhando brasil

Apesar da imagem ruim, nem tudo foi perdido. Gear, um dos estados mais pobres do Brasil, melhorou sua educação muito mais rápido do que outras partes do país. Por quê? Primeiro, as horas extras de aula – estendendo as horas diárias em sala de aula de quatro (padrão na América Latina) para sete. Então, invista em professores.

Um controle aleatório Teste Foi realizado no estado em que os professores podem melhorar seu desempenho quando observados e, então, obter feedback de treinadores especialistas. Isso levou a encorajar os alunos a aumentar sua pontuação no teste – um desvio constante de 0,13-0,23 em um ano do programa. O melhor de tudo é que o suporte via Skype manteve o custo por aluno em 40 2,40, o que tornou a intervenção muito mais barata em comparação com outros programas de treinamento de professores aceitos em países em desenvolvimento, e um Uma estratégia promissora Para esforços completos da escola para aumentar a qualidade dos professores.

READ  Leilão do aeroporto do Brasil pronto para o sucesso - especialistas

Mais significativo do que isso é o caso de Chopra. Todos agora querem saber como esta pequena cidade de Sears, em uma década, desenvolveu a qualidade de sua educação வானளாவ, A partir de classificações melhores do que as cidades ricas, atinge níveis comparáveis ​​aos sistemas de educação de classe mundial. Recentemente, antes da COVID-19 chegar ao país, o município recebeu uma visita Missão do Banco Mundial, Tentei entender o que estava acontecendo lá.

Pois bem, não há bala de prata, o “caso misterioso de Sobral” que confirma o uso efetivo da avaliação do aluno – exigindo avaliações razoáveis, mas escritas e orais; Um currículo com uma curva de aprendizado clara, priorizando as competências básicas; Preparado e Motivação professores; Diretores de escolas autônomos e responsáveis ​​são nomeados por meio de seleção técnica (não politicamente). Não parece muito difícil, não é? No mundo real, elefantes pesados ​​são expostos pela agressão de anões velozes.

Ainda há esperança para a educação no Brasil, mas os legisladores – não apenas em Serra Leoa e em todo o país – precisam começar a fazer a coisa certa.

Se você gostaria de escrever para a International Policy Digest – envie-nos um e-mail com os envios via intpolicydigest.org