Setembro 26, 2021

FVO Site

Encontre as últimas notícias do mundo de todos os cantos do globo no site FVO, sua fonte online para cobertura de notícias internacionais.

Mercedes oferece chassi de ônibus elétrico construído no Brasil

A Mercedes Benz lançou um chassi de ônibus elétrico feito localmente chamado eO500U no Brasil. Possui piso rebaixado e pode acomodar carrocerias de até 13,2 metros de comprimento. O chassi deve oferecer uma autonomia de 250 km e estará disponível a partir de 2022.

A Mercedes-Benz visa principalmente os mercados da América do Sul com seus chassis eletrônicos para ônibus, mas também importa do Brasil para a Oceania e Europa. Para desenvolver o projeto na subsidiária Mercedes Benz do Brasil, a montadora reservou 100 milhões de reais (equivalentes a aproximadamente 0,216,2 milhões) do seu atual ciclo de investimentos (2018 a 2022). Dois protótipos de chassis foram construídos e testados inicialmente na Alemanha, sendo o produto da série desenvolvido no Brasil e lançado no mercado em 2022.

As especificações são conhecidas sobre o seguinte: O chassi eO500U é um modelo 4 × 2 padrão da série O 500 da Mercedes-Benz. Ele pode transportar corpos de até 13,2 metros de comprimento e deverá transportar 83 passageiros. O motor elétrico é integrado ao eixo traseiro, porém a Mercedes Benz não dá detalhes sobre a potência do motor ou bateria. Em termos de tempo de carregamento, a Daimler afirma apenas que o sistema plug-in “atende aos padrões técnicos utilizados em seus ônibus elétricos” e leva apenas três horas para carregar totalmente a bateria.

O fabricante ainda não especificou um preço. No entanto, o portal brasileiro informa que o preço do Automóvel será “três a quatro vezes o preço de um chassi com motor diesel” e que a Mercedes-Benz espera que os custos de investimento sejam reembolsados ​​após 13 anos.

Aviso automotivo inicialmente diz que 150 a 200 e-ônibus baseados em chassis devem ser entregues apenas para a metrópole brasileira de São Paulo. A princípio, a Mercedes-Benz quer oferecer aos clientes assessoria abrangente sobre o uso e aplicação de novas tecnologias no Brasil, infraestrutura de carregamento e gestão naval. Fala-se de um “ecossistema que inclui serviços exclusivos para veículos elétricos” e visa cobrir todo o ciclo de vida dos veículos.

READ  Polícia no Brasil faz batida em empresa farmacêutica em meio a estudo de vacina no Senado

O desenvolvimento do chassi do e-bus Mercedes Benz no Brasil não é por acaso. Mercedes-Benz para o Brasil é o foco global da Daimler para o desenvolvimento dos chassis de ônibus da marca. De acordo com o fabricante, o chassi eO500U foi desenvolvido para as condições brasileiras após extensos testes na Alemanha, onde a experiência da Daimler em ônibus elétricos pode ficar impressionada.

Segundo Carl Deppen, presidente e CEO da Mercedes Benz du Brasil e América Latina, o novo e-chassis é apenas o primeiro passo da Mercedes Benz du Brasil no mundo do movimento elétrico. “Nosso foco e nossas estratégias estão no presente e no futuro. Portanto, estamos cientes dos desafios que temos pela frente”.

A Mercedes Benz não é a primeira fabricante a fabricar ônibus eletrônicos no Brasil. A concorrente chinesa BYD abriu uma fábrica em Campinas novamente em 2015. Desde então, a empresa fabrica chassis para ônibus elétricos localmente. Desde então, houve vários projetos locais. Por exemplo, no outono de 2019, a BYD entregou nove caminhões de lixo elétricos para a empresa de limpeza municipal do Rio de Janeiro e entregou 15 veículos BYD D9W para São Paulo no final de 2018.

Então, na primavera deste ano, a BYD lançou seu primeiro ônibus elétrico pronunciado feito no Brasil. Até outubro, a fabricante, junto com a parceira Marcopolo, planeja apresentar dezenas de milhares de exemplos do uso do São José dos Campos no primeiro corredor de ônibus totalmente elétrico do Brasil.

Na esteira da crescente produção de ônibus elétricos no Brasil, a BYD também inaugurou uma nova planta de bateria de fosfato de ferro de lítio localmente no ano passado. A nova fábrica em Manaus, capital do estado brasileiro da Amazônia, pode produzir 18.000 baterias LiFePO4 para ônibus elétricos anualmente. Com a produção local de baterias, a BYD quer se estabelecer inicialmente no mercado de eMobility no Brasil e na América Latina. A eletrificação da frota de ônibus ainda é um mercado importante, mas o potencial é muito superior ao visto no projeto ZEBRA.

READ  Dedicação de Socorristas Brasileiros às Metas de Emissões em Estudo

noticiasautomotivas.com.br, mercedes-benz.com.br (Ambos em português)