Maio 21, 2024

FVO Site

Encontre as últimas notícias do mundo de todos os cantos do globo no site FVO, sua fonte online para cobertura de notícias internacionais.

Mineira brasileira Samarco enfrenta votação de credores em março, à medida que impasse se aproxima

Bandeiras australiana (2ª E) e brasileira (2ª R) na entrada da mineradora Samarco de propriedade da Vale SA e BHP Billiton Ltd em Mariana, Brasil, 11 de novembro de 2015. REUTERS / Ricardo Moraes / Foto de arquivo

Registre-se agora para ter acesso GRATUITO e ilimitado ao Reuters.com

SÃO PAULO / RIO DE JANEIRO, 23 Fev (Reuters) – A Samarco Mineração enfrenta um possível impasse de credores em uma reunião marcada para 10 de março para votar propostas de reestruturação de dívida que permitiriam à mineradora brasileira de minério de ferro sair da proteção contra falência.

Os credores da joint venture de minério de ferro entre a Vale SA (VALE3.SA) e o Grupo BHP (BHP.AX) devem votar na quarta-feira as últimas propostas para reestruturar cerca de US$ 5 bilhões em dívidas financeiras.

Mas devido à falta de quórum, a reunião foi remarcada, disse a Samarco em comunicado. A votação final será realizada agora em 10 de março, véspera do prazo para a reestruturação da Samarco, independentemente do número de credores presentes.

Registre-se agora para ter acesso GRATUITO e ilimitado ao Reuters.com

A Samarco também enfrenta incertezas em outra frente, já que autoridades federais e estaduais estão conversando com ela desde o ano passado sobre possíveis reparações relacionadas a um rompimento mortal de barragem em 2015, enquanto promotores estaduais de Minas Gerais disseram que esperam começar a discutir os valores totais no próximo mês. .

Documentos divulgados pelos administradores judiciais do processo de falência da Samarco mostram que seus credores exigiram o pagamento de 100% da dívida vencida, com juros acumulados em novos títulos garantidos pelos acionistas Vale e BHP.

READ  Compra de US$ 1 bilhão pela Visa da brasileira Pismo facilita desaceleração de fusões e aquisições de fintech

A Samarco, por sua vez, propôs em dezembro um desconto de 75% aos obrigacionistas, com pagamento em títulos com vencimento em 2041. Outra alternativa seria converter a dívida em patrimônio líquido, com os credores atingindo uma participação acima de 15%.

Assessores de detentores de títulos, que pediram anonimato, dizem que seus clientes votarão contra a atual proposta da Samarco. .

Um grupo de credores ad hoc propôs nesta terça-feira que o ex-executivo da Vale e da Nexa Resources, Tito Martins, se torne presidente em “um passo fundamental” para uma “Nova Samarco”.

Simon Duncombe, vice-presidente de Joint Ventures Não Operadas no Brasil da BHP, disse que esta proposta não mudará a situação, acrescentando que, embora os credores possam exigir a nomeação de novos executivos, a Samarco “não tem problema de gestão”.

No início deste mês, a Vale assinou um acordo de produção de 20 anos com a Samarco que deve adicionar US$ 5,1 bilhões em receita líquida até 2042 e antecipar sua meta de produção de minério de ferro.

Se seus credores decidirem rejeitar a proposta da Samarco, a lei brasileira permite que eles apresentem planos alternativos.

Nesse caso, Duncombe disse que a Vale e a BHP exigiriam o direito de voto em uma assembleia de credores, que inclui as gestoras de ativos York, Ashmore, Canyon, Maple Rock e Solus.

Os obrigacionistas da Samarco são representados pelos escritórios Padis Mattar Advogados, Ferro, Castro Neves (FCDG) e Davis Polk e assessorados pelo banco de investimentos Houlihan Lokey.

A Samarco é representada pelo JPMorgan Chase, a Vale pela Moelis e a BHP pela Rothschild.

Registre-se agora para ter acesso GRATUITO e ilimitado ao Reuters.com

Reportagens de Tatiana Bautzer em São Paulo e Marta Nogueira no Rio de Janeiro; Edição por Alexander Smith

READ  Chefe do Exército brasileiro foi demitido após revolta na capital

Nossos padrões: Os Princípios de Confiança da Thomson Reuters.