Agosto 16, 2022

FVO Site

Encontre as últimas notícias do mundo de todos os cantos do globo no site FVO, sua fonte online para cobertura de notícias internacionais.

‘Tamanho do presente’: indústria de petróleo do Brasil colhe benefícios de medidas de baixo carbono

A Petrobras do Brasil diz estar comprometida com a transição para uma economia de baixo carbono, mas sabe que a demanda por petróleo e gás permanecerá alta nos próximos anos, mesmo no cenário climático mais rápido associado ao Acordo de Paris.

A descarbonização da produção de petróleo e a redução das emissões de gases de efeito estufa são fundamentais para a transição energética.

“O petróleo e o gás fornecem atualmente mais de 50% da energia primária do mundo”, diz Viviana Coelho, gerente executiva da Petrobras Climate Change, falando no recente fórum digital da Upstream.

No entanto, ele destaca que é importante que as operadoras de todo o mundo produzam petróleo com intensidade de carbono reduzida em suas respectivas estradas para emissões líquidas zero.

“Quando falamos em produzir petróleo e gás com zero emissões, estamos falando de 4 gigatoneladas a menos de emissões no mundo”, diz.

“São as emissões que afetam o transporte hoje em dia, então é o tamanho da recompensa por ter um bom desempenho em nossa indústria”.

O artigo continua abaixo do anúncio

Na última década, a Petrobras reduziu as emissões em mais de 20% e a empresa estabeleceu metas ambiciosas para 2025 e 2030.

Coelho acrescenta: “As emissões médias mundiais por barril de óleo equivalente são 70% maiores do que a Petrobras alcançou no pré-sal”.

Para continuar reduzindo suas emissões, a Petrobras está trabalhando em alternativas para eliminar a queima e desenvolver novas tecnologias, como um conceito totalmente elétrico para as próximas embarcações flutuantes de produção, armazenamento e descarga.

Os equipamentos em futuros FPSOs serão movidos a eletricidade em vez de combustíveis fósseis, reduzindo as emissões de gases de efeito estufa em até 20% no processo.

READ  Campeonato Sul-Americano Feminino Sub-17: Brasil vs. Argentina Live Stream: assistir online, canal de TV, hora de início - como assistir e transmitir Major League e esportes universitários

A Petrobras também opera o maior projeto de captura, utilização e armazenamento de carbono (CCUS) do mundo, que, segundo Coelho, já injetou 10 milhões de toneladas de dióxido de carbono de volta nos reservatórios.

“Antes de toda a eletricidade, a última geração de FPSOs já é 16% mais eficiente do que as plataformas operando há dois anos, então você pode ver a rapidez com que estamos melhorando a eficiência”, explica ele.

“Vai chegar a um ponto em que a eficiência é muito alta, e o próximo passo é discutir a descarbonização da fonte de energia e incluir renováveis ​​​​no CCUS ou talvez nas operações de petróleo e gás”.

Os prestadores de serviços marítimos brasileiros também estão procurando maneiras de reduzir suas emissões de gases de efeito estufa.

O grupo de transporte marítimo OceanPact está procurando maneiras de evitar o uso de mais combustível do que o necessário em seus navios e aumentar a capacidade, diz o presidente-executivo Flavio Andrade.

“Estamos pensando em ter navios com propulsão híbrida, o que significa atualizar nossa frota movida a diesel para um sistema híbrido com baterias, o que reduzirá o consumo de combustível em até 20%”, observa Andrade.