Setembro 16, 2021

FVO Site

Encontre as últimas notícias do mundo de todos os cantos do globo no site FVO, sua fonte online para cobertura de notícias internacionais.

Exxon vê ‘melhor oportunidade’ para produção de óleo de baixa emissão no Brasil

Vista da Refinaria ExxonMobil Baton Rouge em Patten Rouge, Louisiana, EUA, 15 de maio de 2021. Foto tirada em 15 de maio de 2021.

HOUSTON, 18 de agosto (Reuters) – A ExxonMobil Corp (XOM.N) está pensando em investir em águas brasileiras para atingir sua meta de reduzir as emissões de carbono da produção de petróleo e gás, disse o presidente Juan Lesman na quarta-feira.

O Exxon Group está considerando a promessa de reduzir as emissões de carbono a zero até 2050 em meio à pressão de grandes investidores para tratar das preocupações com as mudanças climáticas. Anteriormente, havia prometido reduzir as emissões da produção de petróleo e gás em 15% a 20% até 2025. consulte Mais informação

“Agora o foco é: reduzir as emissões”, disse Lesman em evento organizado pela Câmara de Comércio Brasil-Texas. “O Brasil traz uma grande oportunidade para isso.”

Nos últimos quatro anos, a Exxon Brasil se tornou a segunda maior proprietária de acre marítimo, depois da produtora controlada pelo estado Petrolio Brasilro SA (PETR4.SA). O major norte-americano adquiriu mais de 20 blocos e enumera o país sul-americano como uma de suas áreas de expansão.

Lesman, o petróleo bruto de campos costeiros conhecidos como pré-sal produz menos emissões por barril devido à sua qualidade e tecnologia de produção.

O Brasil está organizando duas rodadas de óleo este ano, no primeiro modelo de oferta em outubro. Em dezembro, o país oferecerá dois módulos sob as regras de transferência de direitos, nos quais os fabricantes dividem parte da produção com o governo.

Lesman não comentou sobre a participação da Exxon nas duas rodadas.

Os blocos da oferta – Sepia e Adobe – foram disponibilizados pela primeira vez no leilão de petróleo em 2019, mas fracassaram porque empresas como a Exxon não deram lances.

READ  No Brasil, a guerra dos populistas - direita e esquerda

A agência reguladora do petróleo no Brasil, conhecida como ANP, reduziu os preços dos leilões e melhorou as condições.

No mesmo evento, o chefe de regulação do petróleo do Brasil, Rodolbo Sapoya, disse que os quatro blocos da área de transferência de direitos – Sepia, Adabu, Idaho e Fujios – podem chegar a 1,6 milhão de barris por dia de produção de petróleo e gás até 2030.

Relatório de Margurita Zoe Sabrina Vale Editando

Nossos padrões: Políticas da Fundação Thomson Reuters.