Maio 20, 2024

FVO Site

Encontre as últimas notícias do mundo de todos os cantos do globo no site FVO, sua fonte online para cobertura de notícias internacionais.

Brasil inicia preparativos para a COP30 e anuncia oito mandatos de proteção ambiental

Brasil inicia preparativos para a COP30 e anuncia oito mandatos de proteção ambiental

Em 5 de junho de 2023, o presidente brasileiro Luiz Inácio “Lula” da Silva e a ministra do Meio Ambiente Marina Silva anunciaram um conjunto de oito decretos presidenciais destinados a aumentar a liderança do Brasil na mitigação das mudanças climáticas e na redução do desmatamento (mudanças climáticas). Pedidos). Desde sua reeleição em 30 de outubro de 2022, Lula continua falando o que pensa Objetivos de Gestão Implementar políticas ambientais e energéticas destinadas a enfrentar as mudanças climáticas, promover o Brasil como um destino para investimentos verdes e equilibrar o crescimento econômico com a conservação da biodiversidade. Ele também está ativamente envolvido na promoção das credenciais de gestão ambiental do Brasil no cenário internacional. Os compromissos recentes de alto perfil incluem: Hospitalidade para o Presidente da Comissão EuropeiaUrsula von der Leyen em Brasília em 13 de junhoPraia na cúpula do G7 em maio No Japão.

Havia mandatos de mudança climática declarado Lula reuniu ministros de alto escalão, governadores de estados amazônicos, representantes de comunidades indígenas e representantes de ONGs em cerimônia no Palácio do Planalto, em Brasília, para comemorar o Dia Mundial do Meio Ambiente. Em resumo, o pacote inclui:

  • COP30 – Em maio, o Brasil sediará a ONU 30ª Conferência das Partes da ONU sobre Mudança do Clima (COP30) novembro de 2025 na cidade amazônica de Belém. Lula anunciou a candidatura do Brasil à presidência eleita em novembro de 2022 durante seu discurso na COP27. Em preparação para o evento, o governo criou um Conselho Nacional para a COP30, que inclui o Chefe de Gabinete do Presidente, o Ministro do Meio Ambiente, O. Ministério das Relações Exteriores e outros ministérios chave.
  • Proteção Ambiental e Fiscalização – O Projeto de Conservação e Soberania da Amazônia visa combater a grilagem, o garimpo e a extração ilegal de madeira, bem como a caça e a pesca em territórios indígenas na Amazônia. A fiscalização será implementada por meio da criação de um novo órgão fiscalizador, a Companhia de Operações Ambientais da Força Nacional de Segurança Pública. Sites serão estabelecidos em toda a região amazônica para fortalecer as capacidades existentes e reduzir os tempos de resposta. Marina Silva anunciou o Plano de Prevenção e Controle do Desmatamento na Amazônia, que inclui planos específicos de prevenção e controle do desmatamento para cada um dos biomas amazônicos. Ele também anunciou o relançamento do “Bolsa Verde”, um programa de apoio social destinado a 30 mil famílias vulneráveis ​​que vivem em comunidades tradicionais da região amazônica, com o objetivo de incentivá-las a se engajar em atividades extrativistas.
  • Das Alterações Climáticas – O Comitê Interministerial de Mudanças Climáticas foi restabelecido por decreto. A organização monitorará a implementação pelo governo brasileiro da política nacional do Brasil sobre mudanças climáticas. Representantes corporativos adicionais foram adicionados ao comitê executivo do Fundo Nacional para Mudanças Climáticas. Também foi criada uma nova comissão nacional para reduzir as emissões de gases de efeito estufa resultantes do desmatamento e da degradação florestal.
  • Segurança – O evento também foi usado para anunciar novas áreas protegidas, incluindo um novo parque nacional de 61.000 hectares no estado da Paraíba, uma área protegida no estado da Paraíba e uma expansão da reserva em 1.800 hectares no Mato Grosso. O governo também rescindiu medidas do governo anterior que enfraqueceram a proteção da região da Mata Atlântica.
READ  Localizada no Brasil, a Unidas é a luz verde para se tornar oficialmente uma

Medindo a temperatura: nós Reportado em janeiroO governo Lula anunciou metas ambientais ambiciosas, prometendo erradicar a floresta amazônica até 2030. A promoção agressiva de Lula do compromisso renovado do Brasil com a proteção ambiental com parceiros internacionais teve algum sucesso. Promessa de US$ 500 milhões Do presidente Biden para Amazon Funding.

A atual administração reconheceu a necessidade de reduzir o desmatamento na Amazônia para atrair financiamento de parceiros internacionais e do setor privado. Experimentos anti-desmatamento A reunião de janeiro foi um sinal de intenção, e a criação de uma nova “Agência de Operações Ambientais” é uma tentativa de melhorar as capacidades de fiscalização ambiental do Brasil, um tanto vacilantes. O Brasil também busca atrair a comunidade de investidores internacionais Por lei Tem como objetivo estimular os mercados de crédito de carbono.

Lula agora se tornou um modelo conhecido com as iniciativas do governo, um conjunto recente de medidas ambientais que foram amplamente divulgados, mas será um desafio garantir sua implementação efetiva. A implementação dessas medidas por meio de decreto presidencial garantiria sua entrada automática em vigor sem a necessidade de aprovação posterior. No entanto, eles podem ser objeto de contestação futura pelo “lobby motosserra” na legislatura brasileira, ou contestados como inconstitucionais nos tribunais brasileiros. Lula recentemente se opôs ao novo projeto de regras incluído no adiado acordo comercial UE-Mercosul, que imporia sanções econômicas aos países que não cumprirem certos compromissos ambientais.