Maio 24, 2024

FVO Site

Encontre as últimas notícias do mundo de todos os cantos do globo no site FVO, sua fonte online para cobertura de notícias internacionais.

Shoppe pede para você aderir ao programa de compliance fiscal do Brasil

Shoppe pede para você aderir ao programa de compliance fiscal do Brasil

Shoppe é uma empresa asiática de comércio eletrônico ele perguntou Junte-se ao Esquema de Conformidade Fiscal do Governo Central Conformidade com o envioA iniciativa isenta todas as compras internacionais até US$ 50 de taxas de importação para as empresas participantes da iniciativa.

O programa foi lançado em agosto e, nas últimas semanas, o gigante do fast fashion Sheen, o AliExpress do Alibaba e o Signerlock acordado Para participar – segundo a Receita Federal, Sheen e AliExpress responderam sozinhos por 67% de todas as remessas enviadas ao Brasil no primeiro semestre deste ano.

Assim como suas contrapartes asiáticas, a Shopee também está expandindo suas operações no Brasil – aderir a um novo programa de conformidade fiscal tornou-se parte desse plano. Em maio, anunciou a abertura de dois novos centros de distribuição no Nordeste do país. Serve pontos de trânsito rápido para redistribuir mercadorias num modelo cross-docking – em que as mercadorias são recolhidas de fornecedores locais por parceiros logísticos em centros de primeiro quilómetro. são reembalados e enviados para centros de última milha antes de chegarem ao consumidor final.

Com os dois novos armazéns, a Shopee passa a contar com oito centros em todo o país – os outros seis estão localizados no Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Paraná – e mais de 60 centros secundários, todos com capacidade para entregar 1,5 milhão de embalagens diariamente.

No primeiro trimestre, a empresa atingiu a marca de 3 milhões de vendedores locais em seu marketplace. Mais de 85% das vendas no país já são feitas por meio deles, o que explica a importância do modelo cross-talking.

Programas do congresso

O Comitê de Finanças e Tributação da Câmara decidiu realizar uma audiência pública sobre um projeto de lei esta semana (PL 2339/22) visa tributar as compras online internacionais. A data do evento ainda não foi definida, mas é o primeiro passo de uma proposta que mudará radicalmente o novo programa de compliance com players internacionais.

READ  Brasil venceu Guiné por 4 a 1 em amistoso contra o racismo

O deputado Felix Mendonza Jr. apresentou o plano do governo em outubro do ano passado e busca tributar “as remessas postais internacionais resultantes da venda de mercadorias estrangeiras pela Internet e outros meios eletrônicos”. 50, atualmente isentos de direitos de importação.

O texto é processado implicitamente, o que significa que se remover os grupos permanentes que lhe foram atribuídos, não necessita de aprovação absoluta. Depois da Comissão de Finanças e Fiscalidade, a proposta terá de passar apenas pela Comissão de Constituição e Justiça.