Maio 22, 2024

FVO Site

Encontre as últimas notícias do mundo de todos os cantos do globo no site FVO, sua fonte online para cobertura de notícias internacionais.

Seleção Brasileira de Breaking se prepara para nova batalha de dança — Spotify

Seleção Brasileira de Breaking se prepara para nova batalha de dança — Spotify

Ritmos incríveis, footwork extravagante, dançarinos talentosos, batalhas emocionantes – tudo isso faz do break, um tipo de dança que combina movimentos complexos com coreografia estilizada.

Nascido nas comunidades negra e latina do Bronx, o break apareceu pela primeira vez na década de 70. O início do movimento hip-hop. O nome refere-se às batidas break que definiram o som inicial do hip-hop e deram aos dançarinos a chance de mostrar seus movimentos. Ao longo das décadas de 70 e 80, grupos de dança surgiram e competiram entre si, introduzindo novas técnicas como headspin, freeze e top rock.

A música é uma parte importante do break, e os DJs que controlam as plataformas giratórias geralmente misturam elementos de hip-hop, jazz, disco, electro e muito mais para criar uma faixa cativante para dançarinos, conhecidos como b-boys e b-girls. , ir.

No início dos anos 80, a Braking ganhou força no Brasil, oferecendo uma nova maneira para os jovens do país se conectarem e se comunicarem. Até hoje as batalhas de dança acontecem nas ruas de São Paulo enquanto b-boys e b-girls competem para ver quem tem os melhores movimentos.

Em 2024, o break fará sua estreia olímpica em Paris, e o Brasil se prepara para os Jogos. A seleção brasileira é composta por seis talentosas estrelas: Leonie, Luan Chan, rato, Gorro, Mini JapãoE Natan. Enquanto treinam, o Spotify estará com eles em cada passo do caminho como um apoiador da equipe. Além de patrocinar eventos na comunidade de travagem, também prestamos assistência financeira à equipa que compete em provas nacionais e internacionais e assistência financeira aos atletas na sua formação.

Para documentação Pego com membros da tripulação Leonie E Gorro Saiba mais sobre Breaking e onde eles veem o futuro do jogo.

READ  O Leeds agora pode fazer uma mudança em janeiro para a estrela da Copa do Mundo do Brasil, Pedro

Qual é a sua parte favorita sobre quebrar?

Leonie: A parte que mais amo é a liberdade dentro do rompimento – posso fazer tudo no meu tempo, posso fazer qualquer coisa que eu criar do meu jeito, e ser o que eu imaginar com o meu rompimento.

Toquinha: O melhor de me quebrar é a paixão no olhar das pessoas e a adrenalina das batalhas!

Existe alguma música ou artista específico que você adora tocar?

Leonie: eu sou um fã Uma tribo chamada Quest. Eu acho que eles são o melhor grupo de rap.

Toquinha: eu gosto muito PesoCanções de! Eu também adoro ser DJ, especialmente para praticar DJ Patada’ Killapés de

Leonie faz uma dança break em uma ponte

Leonie

É preciso muita improvisação para ser bom no break. O que mais você acha que é necessário para se destacar nos esportes?

Leonie: preciso de você Deve ser pessoal e original. Ser “único” na separação é definitivamente uma das coisas mais difíceis e valiosas de se fazer.

Toquinha: Para se destacar no intervalo é preciso ter estilo e muita fluidez. Acredito que a persistência nos treinos é a chave para destravar o que seu corpo pode alcançar.

Qual foi sua reação quando descobriu que o break se tornaria um esporte olímpico?

Leonie: Eu estava feliz. Eu sabia que isso aumentaria a popularidade da frenagem no mundo, e foi exatamente isso que aconteceu.

Toquinha: Quando soube que a frenagem seria nas Olimpíadas, fiquei animado, curioso e motivado para treinar mais!

Toquinha dança break em uma ponte

Gorro

Os Jogos Olímpicos certamente ajudarão no desenvolvimento da compreensão e na divulgação do conhecimento. O que mais você espera para o futuro do jogo?

Leonie: Com esta exposição, espero que possamos alcançar mais pessoas e mais lugares.

READ  O Brasil está sem APIs de rede, plataformas digitais e serviços

Toquinha: de O break se tornou parte das Olimpíadas e abriu muitas portas para mim e para o resto do mundo. Pratico e me dedico para facilitar as coisas para as gerações futuras!

Como foi ter o apoio do Spotify enquanto o grupo embarcava nessa jornada?

Leonie: É incrível não só para nós como membros da equipe, mas também para a pausa nacional. Breaking e música são indissociáveis, e ter uma empresa como o Spotify ajudando a difundir o break no Brasil sem dúvida ajudou muito. Isso nos dá reconhecimento e esperança de conseguir mais.

Toquinha: Para mim, conseguir o programa de patrocínio do Spotify foi incrível. É estranho o quanto a frenagem e o Spotify andam juntos!