Maio 22, 2024

FVO Site

Encontre as últimas notícias do mundo de todos os cantos do globo no site FVO, sua fonte online para cobertura de notícias internacionais.

O governo brasileiro estabeleceu uma nova meta de inflação para 2026, alterando o prazo para cumpri-la

O governo brasileiro estabeleceu uma nova meta de inflação para 2026, alterando o prazo para cumpri-la

BRASÍLIA, 29 Jun (Reuters) – O principal órgão de política econômica do Brasil, o Conselho Monetário Nacional (CMN), estabeleceu nesta quinta-feira sua meta de inflação para 2026 em 3%, revisando o prazo para cumprir a meta de inflação e confirmando as expectativas do mercado. Em ambas as extremidades.

Atualmente, o CMN estabelece metas anuais de inflação a serem cumpridas a cada ano civil.

Em entrevista coletiva, o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, disse que a partir de 2025 o modelo passará para um horizonte contínuo, o que na prática significaria um período de 24 meses para avaliar o cumprimento das metas.

O ministro disse que o presidente assinará o decreto nesse sentido para que a medida entre em vigor.

Alberto Ramos, economista do Goldman Sachs, descreveu o novo prazo como muito longo, mas previu que os resultados do mercado seriam positivos, com expectativas de inflação ligeiramente melhores de 2024 a 2026, abrindo caminho para o banco central embarcar em um ciclo de flexibilização. .

Haddad disse anteriormente que é a favor de buscar metas de inflação em um período “contínuo”, argumentando que uma abordagem de longo prazo deixa mais espaço para acomodar choques de preços sem a necessidade de aperto monetário.

Atualmente, o banco central tem como meta a inflação de 3,25% em 2023 e 3% em 2024 e 2025, com tolerância de 1,5 ponto percentual acima ou abaixo mantida em 2026.

Isso se compara à inflação de 3,4% nos 12 meses até meados de junho, com economistas privados esperando inflação de 5,06% este ano, 3,98% em 2024, 3,80% em 2025 e 3,72% em 2026.

Mais cedo na quinta-feira, o presidente do banco central, Roberto Campos Neto, também disse que apoiava a mudança de prazo, chamando-a de “desenvolvimento interessante”.

READ  Capitão da pátria dos meninos, Anthony Starr, visita o Brasil para apreciar a 'cozinha local' - Designer Woman

Campos Neto argumentou que no passado o governo tomou medidas visando alinhar o índice de inflação oficial com as metas para um determinado ano-calendário, o que tem sido “ruim” e implica em ciclos monetários menos suaves.

O CMN é composto pelo Ministro da Fazenda, Ministro do Planejamento e Governador do Banco Central.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva sempre criticou o banco central independente por manter as taxas de juros em 13,75%, apesar de um declínio acentuado da inflação. Ele pediu metas de inflação mais altas para facilitar a política monetária. Esses apelos, que ele não faz há meses, ajudaram a diminuir as expectativas de inflação.

Minutos após sua última decisão de política monetária, o banco central disse que a maioria das autoridades estava cautelosamente observando espaço para flexibilização monetária em agosto, caso surgisse um cenário de melhora para a inflação. Propósito

Reportagem de Marcela Ayres em Brasília Edição de Matthew Lewis e Diane Croft

Nossos padrões: Princípios de confiança da Thomson Reuters.