Maio 20, 2024

FVO Site

Encontre as últimas notícias do mundo de todos os cantos do globo no site FVO, sua fonte online para cobertura de notícias internacionais.

Lula diz que comportamento de Israel não é comparável ao Holocausto

O presidente brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, disse que não usou a palavra “Holocausto” em seus comentários sobre Israel e posteriormente foi banido do país, disse Lula durante entrevista ao brasileiro. Rede de TV Essa terça-feira.

“Em primeiro lugar, não disse a palavra massacre, essa é a interpretação do primeiro-ministro de Israel, não é a minha”, disse o presidente.

Lula disse acreditar que Israel é culpado de genocídio contra civis de Gaza, acrescentando que não esperava que o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, entendesse sua declaração original.

“Não espero que o governo israelense entenda. Eu sei (Netanyahu), eu sei o que ele pensa ideologicamente”, disse Lula antes de repetir que descreveu o esforço de guerra de Israel contra o grupo terrorista Hamas como “uma guerra entre um exército altamente preparado e mulheres e crianças”.

O presidente brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, fala durante uma celebração que marca o 43º aniversário da fundação do Partido dos Trabalhadores, em 13 de fevereiro de 2023, em Brasília, Brasil. (Crédito: REUTERS/Adriano Machado)

O presidente brasileiro, que já expressou a causa palestina diversas vezes em sua carreira política, também questionou o número de membros do Hamas dados como mortos por Israel – Israel está matando mais civis do que gostaria de admitir.

“Quantas pessoas do Hamas morreram? Você encontra algumas mentiras e começa a agir como se fossem verdade”, disse Lula.

Os comentários de Lula provocaram indignação no país e no exterior

O presidente brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, comparou a guerra de Israel contra o Hamas a Adolf Hitler e ao massacre nazista de judeus, quando falou a repórteres em Adis Abeba, Etiópia, no início deste mês.

“Não houve outro momento histórico em que o que estava acontecendo na Faixa de Gaza com o povo palestino… na verdade, foi quando Hitler decidiu matar os judeus”, disse Lula em um comunicado proibindo Lula de entrar. Israel até que a declaração seja retirada.

READ  As exportações do Fiat Pulse do Brasil começam em R$ 159.639.

O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu chamou os comentários de Lula de “vergonhosos e graves” e disse que eram “uma tentativa de banalizar o Holocausto e prejudicar o povo judeu e o direito de Israel à autodefesa”.

No dia seguinte, o ministro das Relações Exteriores, Israel Katz, convocou o embaixador do Brasil, Frederico Meyer, para uma reprimenda – não no Itamaraty, como de costume, mas no museu do Holocausto Yad Vashem – dizendo que Israel “não pode esquecer nem perdoar”. ”Comentários de Lula.

A CNN Brasil Uma pesquisa realizada na segunda-feira revelou que oito em cada 10 brasileiros – ou 83% dos entrevistados – discordaram da comparação de Lula.

Uma pesquisa da CNN Brasil descobriu que 57% dos 800 entrevistados consideraram Israel do lado certo do conflito, enquanto 28% ficaram do lado do Hamas. Além disso, 26% disseram que o Brasil deveria apoiar Israel na guerra, outros 14% disseram que os palestinos e 54% disseram que o país deveria permanecer neutro – algo que o governo Lula não fez. Nos primeiros dois meses após a guerra, o apoio a Israel, evidente em várias sondagens, variou entre 70% e 80%.

Kady Zike e Herb Keinon contribuíram para este relatório.