Maio 20, 2024

FVO Site

Encontre as últimas notícias do mundo de todos os cantos do globo no site FVO, sua fonte online para cobertura de notícias internacionais.

Mediador brasileiro resolverá ‘impasse’ sobre direitos de voto da Eletrobras

Mediador brasileiro resolverá ‘impasse’ sobre direitos de voto da Eletrobras

SÃO PAULO (Reuters) – O juiz da Suprema Corte do Brasil pediu nesta terça-feira a um mediador estatal que reconsiderasse um pedido para conceder formalmente à concessionária de energia Eletropras direitos de voto proporcionais à sua participação.

O pedido marca a mais recente reviravolta na disputa sobre quanto poder o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva deveria exercer sobre a empresa de energia.

O juiz Nunes Márquez, principal figura do Supremo Tribunal Federal no caso, decidiu em decisão por escrito publicada no site do tribunal que a Eletrobras e o governo têm 90 dias para encontrar um “solução amigável”.

O governo brasileiro detém atualmente 43% das ações ordinárias da Eletrobras, que foi privatizada no ano passado. Mas devido à lei que regulamenta as privatizações, só pode exercer direitos de voto na tomada de decisões corporativas, não excedendo 10%.

A regra aplica-se apenas aos acionistas que detinham grandes participações antes da privatização.

Em maio, o governo solicitou ao Supremo Tribunal que concedesse direitos de voto proporcionais à sua participação na Eletrobras num pedido legal apresentado pelo seu procurador-geral.

Nessa altura, o governo teria uma voz muito maior nos votos dos acionistas se a empresa aceitasse o pedido, que alertou que poderia distorcer as “decisões de investimento do mercado”.

Na terça-feira, a Procuradoria-Geral da República comprometeu-se a “fazer todos os esforços para resolver o impasse dentro do prazo”.

A Eletrobras não respondeu imediatamente a um pedido de comentário fora do horário comercial normal.

(Reportagem de Andre Romani; Edição de David Alire Garcia; Edição de Michael Perry)