Agosto 16, 2022

FVO Site

Encontre as últimas notícias do mundo de todos os cantos do globo no site FVO, sua fonte online para cobertura de notícias internacionais.

Vibra do Brasil fecha acordo para passar para combustível de aviação à base de óleo de palma

Wilson Ferreira Junior gesticula durante entrevista coletiva em Brasília, Brasil, 27 de março de 2018. REUTERS/Ueslei Marcelino

Registre-se agora para ter acesso GRATUITO e ilimitado ao Reuters.com

SÃO JOÃO DA BALIZA, Brasil, 13 de abril (Reuters) – A distribuidora brasileira de combustíveis Vibra Energia SA (VBBR3.SA) aproveitou uma parceria existente com a Brasil BioFuels (BBF) para passar a produzir e vender combustível de aviação à base de óleo de palma, à medida que procura gostaria de dar mais um passo na transição energética.

A Vibra, anteriormente conhecida como Petrobras Distribuidora SA, concordou em vender combustível de aviação a ser produzido na biorrefinaria de Manaus da BBF, que já estava programada para fornecer à empresa diesel renovável.

A medida levou a BBF a investir mais R$ 200 milhões (US$ 43 milhões) no empreendimento, que usará óleo de palmeiras plantadas na região amazônica de Roraima, estado mais ao norte do Brasil, como matéria-prima.

Registre-se agora para ter acesso GRATUITO e ilimitado ao Reuters.com

A Vibra, maior distribuidora de combustíveis do país, escolheu sediar o novo empreendimento na cidade de São João da Baliza, conhecida por seu clima de floresta tropical, ideal para o plantio de palmeiras.

O óleo de palma proveniente de lá será processado em combustível na fábrica da BBF em Manaus, no estado vizinho do Amazonas.

A planta deverá entrar em operação em 2025 com capacidade de produção anual de até 250 milhões de litros de “diesel verde” e 280 milhões de litros de combustível de aviação.

O presidente-executivo da Vibra, Wilson Ferreira Junior, disse que a medida está alinhada com a estratégia da empresa de aumentar seu portfólio de energia renovável por meio de aquisições e parcerias.

READ  Uruguai e Brasil planejam integração energética profunda

Geração de energia renovável, biometano, diesel renovável, etanol e SAF fazem parte dessa estratégia, disse ele.

Além disso, a Vibra disse à Reuters que também está desenvolvendo potenciais parcerias para entrar no mercado brasileiro de gás natural em rede, bem como iniciativas para o mercado de gás natural liquefeito (GNL) fora da rede, e planeja começar a operar no varejo de GNL do país mercado.

“A partir de agora haverá uma plataforma multienergética para a transição energética”, disse Ferreira Junior.

A parceria da Vibra com a BBF tem duração de cinco anos, podendo ser renovada depois disso.

($ 1 = 4,6735 reais)

Registre-se agora para ter acesso GRATUITO e ilimitado ao Reuters.com

Reportagem de Nayara Figueiredo; Escrita de Gabriel Araújo; Edição de David Holmes

Nossos padrões: Os Princípios de Confiança da Thomson Reuters.