Outubro 17, 2021

FVO Site

Encontre as últimas notícias do mundo de todos os cantos do globo no site FVO, sua fonte online para cobertura de notícias internacionais.

UNICEF Brazil Flash Situation Report No. 1 (Aumento da migração em Passaraima): 28 de setembro de 2021 – Brasil

Situação em números

4.015 deslocados na cidade fronteiriça de Pacharaima

38% são crianças e adolescentes

261.441 refugiados e imigrantes venezuelanos que vivem no Brasil

14 dos 14 abrigos disponíveis trabalham acima da capacidade
(Fontes: site IOM / R4V / Ministério da Cidadania / ACNUR)

Visão geral da situação

As condições de saúde e de vida dos refugiados e migrantes venezuelanos que chegam ao Brasil pela cidade de Bacharama estão se deteriorando rapidamente à medida que o número de pessoas que vivem nas ruas aumentou 15 vezes entre junho e agosto, com a epidemia do Govt-19 desde o fechamento da fronteira desde março de 2020.

Hoje 2065 pessoas vivem nas ruas de uma cidade de 19.000 habitantes, à espera de documentos para continuar sua jornada, situação não vista desde os momentos mais severos da imigração venezuelana em 2017 e 2018.

O aumento no número de pessoas deslocadas na fronteira – mais de 4.000 pessoas contadas como famílias em assentamentos informais (principalmente comunidades tribais) – resultou no aumento da demanda como resultado da retomada dos processos regulatórios suspensos de 2020 em diante. Número de famílias sem documentos. Em média, refugiados e imigrantes esperam mais de uma semana com o pior acesso a serviços de saneamento, água e saneamento adequados.

A situação é particularmente grave para crianças desacompanhadas, separadas e sem documentos (UASC). O tempo de espera para julgamento é superior a um mês, pois aumentou o número de processos que requerem o apoio do Juizado de Menores e da Juventude, da Guarda Pública Estadual e da Polícia Federal para garantir medidas de segurança. No entanto, a demanda aumentará no curto e médio prazo. Até julho, o UNICEF havia identificado e apoiado 2.635 crianças e adolescentes nessa situação, em comparação com 1.577 em 2020.

READ  Atualização 1 - Brasil deve nomear mais agentes ambientais para combater incêndios florestais

Na resposta humanitária liderada pelo estado, 14 abrigos, a Operação Acolhida, estão trabalhando além da capacidade. Autoridades implementam terceira fase do plano de contingência – ONU Apoiado – levou à abertura de mais dois grandes abrigos (um deles planejado para outubro), para estabelecer os serviços básicos, e reforçou o apoio do governo e das instituições.

Atualmente, 5 abrigos em Roraima são exclusivos para povos indígenas (comunidades Varo, Beman Torepong e Eba), o que representa 20% dos 8.734 abrigos.

Com centenas de famílias chegando diariamente, tornou-se comum que águas residuais não tratadas e resíduos sólidos se acumulassem nas ruas de Pacharama, desafiando os serviços federais e municipais e aumentando as tensões com a comunidade anfitriã.