Setembro 16, 2021

FVO Site

Encontre as últimas notícias do mundo de todos os cantos do globo no site FVO, sua fonte online para cobertura de notícias internacionais.

Supremo Tribunal Federal avalia caso importante envolvendo direitos indígenas à terra

BRASÍLIA, 1 de setembro (Reuters) – O Supremo Tribunal Federal ouviu nesta quarta-feira argumentos contra a data do desmatamento, afirmando que os indígenas são importantes para sua sobrevivência, enquanto o governo recomendou o compromisso legal aos agricultores do centro do poder agrícola.

A Suprema Corte ponderou se um governo estadual usou uma definição muito restrita de direitos indígenas ao reconhecer apenas terras indígenas ocupadas por comunidades indígenas quando a Constituição do Brasil foi adotada em 1988.

O caso deve se arrastar por vários dias Afeta centenas de direitos à terra nativa.

Os indígenas dançaram e cantaram fora do canto.

Louis Eloy Amato, do Povo Terena, advogado da maior organização indígena guarda-chuva, a APIB, disse que a lei era inconstitucional porque a constituição de 1988 não tinha prazo, o que garantia o direito às terras ancestrais.

“A questão da terra é fundamental para os indígenas do Brasil”, disse Amado à corte. Ele acrescentou que, se o prazo de 1988 não for rejeitado pelo tribunal, cerca de 800 ações estão em fase final de reconhecimento e serão suspensas.

Terras indígenas protegidas servem de baluarte contra o desmatamento na Amazônia. O fracasso dos indígenas na Justiça abrirá um precedente para o presidente de direita Jair Bolzano reivindicar seus próprios direitos, que ele buscou com o apoio de poderosos interesses agrários.

O procurador-geral do Governo, Bruno Bianco, argumentou que o período proporcionou proteção jurídica aos agricultores, muitos dos quais viviam na terra durante décadas e foram expulsos com a chegada de imigrantes europeus.

Bianco decidiu que a questão seria melhor decidida pelo Congresso, onde o Deadline Act de 1988 permitia um comitê da câmara baixa. Ele disse que o tribunal deveria adiar uma decisão até que os legisladores aprovassem o projeto, que é uma tática apoiada pelo poderoso lobby agrícola do Brasil.

READ  Canzino da China corta vínculo com Brasil e suspende licença de vacina

A corte foi suspensa até quinta-feira, quando 18 oradores compareceram antes que os juízes pudessem começar a discutir o assunto.

Relatório de Ricardo Brito, escrito por Anthony Botley; Edição de Sandra Malor

Nossos padrões: Políticas da Fundação Thomson Reuters.