Novembro 28, 2021

FVO Site

Encontre as últimas notícias do mundo de todos os cantos do globo no site FVO, sua fonte online para cobertura de notícias internacionais.

Segurança de fronteira diz que há grupos invulgarmente grandes de imigrantes do Brasil e da Venezuela

A Guarda de Fronteira da Área de San Diego afirma ter prendido duas pessoas durante uma operação contra uma organização de tráfico de pessoas que supostamente trouxe a maioria dos imigrantes venezuelanos e brasileiros para a fronteira de Tijuana-San Diego.

A agência disse que a operação começou depois que agentes de patrulha de fronteira começaram a confrontar grupos de imigrantes “incomuns” do Brasil, Venezuela e Portugal.

No geral, o número de detidos nos EUA na fronteira com o México caiu pelo terceiro mês consecutivo em outubro, após um aumento acentuado neste verão, de acordo com dados da Alfândega e Proteção de Fronteiras dos EUA divulgados em 15 de novembro. CBP relatado Houve mais de 164.000 medos em toda a fronteira EUA-México em outubro, uma queda de 23 por cento em relação a julho.

Grandes grupos do Brasil e da Venezuela começaram a chegar a Tijuana neste outono, segundo Jose Maria Garcia, diretor do abrigo Juventus 2000 no bairro Jonah Norde, em Tijuana.

Em 11 de novembro, Garcia disse que um grupo de cerca de 150 brasileiros e venezuelanos chegou à Juventus 2000 e só pediu comida antes de chamar táxis para sair de um abrigo perto da fronteira. Ele disse que a barreira do idioma impediu que os membros do grupo fossem totalmente entrevistados.

“Essas 150 pessoas chegaram e em poucas horas, já haviam saído, pediram para pegar vários táxis e dar uma volta pela cidade. Disseram que iam ficar em alguns dos hotéis e apartamentos que já estavam montados”, afirmou. disse.

Entre 28 de outubro e 9 de novembro, os guardas de fronteira de San Diego detiveram cinco grupos de imigrantes do Brasil e da Venezuela, 43, 49, 73, 84 e 93, respectivamente.

READ  O presidente Polsano do Buenos Aires Times Brasil decidiu não vacinar

Agentes prenderam dois mexicanos em 4 de novembro depois de descobrirem 75 pessoas do Brasil, Venezuela e Portugal trancadas dentro de um caminhão de baú. O CBP não respondeu no sábado a uma pergunta sobre onde ocorreu a prisão.

No início de novembro, a Guarda Nacional Mexicana e a Agência Nacional de Imigração anunciaram que estavam parando um caminhão Transport Ambaro na área de Tijuana, na fronteira, onde 58 imigrantes do Brasil, 16 da Venezuela e um de Portugal estavam escondidos. A parte de trás do caminhão.

“A parceria com o governo mexicano continua a desempenhar um papel fundamental no combate aos traficantes que exploram indivíduos para ganho monetário”, disse Aaron Heidge, chefe da patrulha. “Agradecemos a eles por seu apoio e continuaremos nosso esforço conjunto para levar esses perpetradores à justiça.”

Antes do julgamento de 28 de outubro, os agentes de San Diego disseram que já haviam encontrado uma série de “números extraordinariamente grandes de grupos de imigrantes” de cerca de 50 a 90 pessoas, disse a agência.

Por exemplo, em 27 de outubro, os agentes viram um grupo de indivíduos descarregando um caminhão baú ao sul da cerca da fronteira internacional. Agentes disseram que o grupo entrou nos Estados Unidos por meio de um cano de drenagem comprometido. Agentes prenderam 67 homens, mulheres e crianças de dois países, Brasil e Venezuela.

Em 26 de outubro, agentes localizaram dois grupos de imigrantes entrando ilegalmente nos Estados Unidos por meio de um esgoto comprometido. O primeiro grupo era formado por 86 brasileiros. Poucas horas depois, um segundo grupo de 69 brasileiros foi detido no mesmo local. Ambos os grupos são homens, mulheres e crianças.

READ  A floresta amazônica do Brasil foi desmatada por mais de 15 anos

Em 23 de outubro, os agentes notaram um grupo de imigrantes entrando nos Estados Unidos por meio de um cano de esgoto três milhas a oeste do Porto de São Francisco. Os agentes identificaram 72 homens, mulheres e crianças. Ficou determinado que cada membro do grupo era do Brasil ou da Venezuela.

Desde 2014, pelo menos 5,6 milhões de venezuelanos, ou mais de 18 por cento, fugiram de seu país devido à instabilidade violenta, incluindo fome, crime, serviço público precário e abusos dos direitos humanos pelas forças de segurança do Estado. De acordo com a National Geography. A maioria deles mudou-se para o sul, não para o norte, mas o México experimentou um pico histórico de populações indocumentadas – 147.000 de janeiro a agosto – três vezes mais do que em 2020, De acordo com a Agência de Migração do país.