Julho 2, 2022

FVO Site

Encontre as últimas notícias do mundo de todos os cantos do globo no site FVO, sua fonte online para cobertura de notícias internacionais.

Preços do frango sobem 22,5% no mercado interno brasileiro

A guerra entre a Rússia e a Ucrânia levou os compradores globais a voltarem suas atenções para o Brasil. A Ucrânia é um importante fornecedor global de carne de frango, principalmente para a Europa e o Oriente Médio.

Prova disso, os Emirados Árabes Unidos se tornaram o maior destino do frango brasileiro em março, superando a China. O país islâmico importou 42,8 mil toneladas, volume 89,9% superior ao importado no terceiro mês de 2021.

“As nações islâmicas foram os primeiros destinos das exportações brasileiras de carne de frango em 1975”, diz ABPA o presidente Ricardo Santin, acrescentando que “a sólida parceria deverá aumentar no longo prazo. “O setor avícola brasileiro está em conformidade com o halal. Isso nos colocou em uma posição estratégica para apoiar a segurança alimentar nas nações árabes.”

O mercado interno de aves do Brasil

Uma vez que a demanda por aves brasileiras aumentou, os custos de produção para os agricultores – incluindo pintos, ração e eletricidade – também aumentaram por causa da guerra na Ucrânia. O consumidor final brasileiro também teve que pagar mais pelos cortes e miúdos de frango no mercado interno, segundo Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada).

No estado de São Paulo, os produtos congelados, com média de R$ 7,06/kg ou € 1,37 em março, tiveram alta mensal de 17,7% e anual de 10,4%, em termos nominais. O maior aumento foi para as coxinhas congeladas: 22,5% de fevereiro a março, para R$ 7,35/kg (1,43).

READ  Biden sedia o primeiro encontro em Bolzano, Brasil

Avicultura

Um aumento na demanda global resultou em uma maior busca por pintos de alojamento. No Paraná, principal estado produtor de aves, o produto saltou 9,3% no mês e 11,2% no ano em termos reais.

No caso do frango vivo para abate, o preço médio é de R$ 5,49/kg (€ 1,07) no estado de São Paulo, maior mercado consumidor, alta de 13,7% em relação a fevereiro e alta de 6,3% em relação a Março de 2021, inflação descontada.