Julho 2, 2022

FVO Site

Encontre as últimas notícias do mundo de todos os cantos do globo no site FVO, sua fonte online para cobertura de notícias internacionais.

Preços de energia mais altos estão estimulando o interesse dos investidores na capacidade passiva de biocombustível do Brasil

  • Preços mais altos do etanol estão aumentando o interesse de investidores em usinas no Brasil
  • Finanças dos EUA encontram potencial barato e não utilizado
  • Cerca de 40 plantas são oferecidas como momento favorável para M&A

NOVA YORK, 8 Jun (Reuters) – Os altos preços do etanol e do açúcar levaram os investidores a fundir acordos no Brasil, onde muitos biocombustíveis passivos poderiam trabalhar para aumentar o abastecimento global de combustíveis e alimentos.

Craig Tashjian, sócio-gerente da Amera, fundo de investimento dos EUA que expande o setor de cana-de-açúcar e etanol de milho do Brasil, disse: “A Arábia Saudita tem cana brasileira, potencial barato não utilizado. Esse é o sonho do investidor.

Estou muito positivo sobre a oportunidade de investimento lá.

Inscreva-se agora para ter acesso gratuito e ilimitado ao Reuters.com

A Amerra detém participações em seis empresas brasileiras, incluindo a FS Bionergia, a maior produtora de etanol de milho do país. Possui 36% da Tapajos Holding Company, que detém 23,7% da FS.

O Brasil é o maior produtor mundial de açúcar e o segundo maior produtor de etanol, mas quase 30% de sua capacidade de moagem de cana está inativa devido a problemas financeiros enfrentados por pequenas empresas. Investidores e banqueiros disseram que vários acordos estão sendo negociados, com grandes empresas esperando enfrentar empresas menores que operam abaixo da capacidade.

Henrik Penna, CEO da empresa sucroalcooleira Jalles Machado SA (JALL3.SA), abriu o capital em maio passado e fez a aquisição em maio, dizendo que cerca de 40 usinas estavam à venda.

“Nas etapas finais do processo (de aquisição), identificamos pelo menos oito bons alvos”, disse ele, acrescentando que os preços atuais de açúcar e etanol atraíram vendedores e compradores ao mercado.

READ  O relatório sugere carnaval choroso para a Prefeitura do Rio de Janeiro no Brasil em 2022: sem certificado de vacina, sem abrigo

No Brasil, os preços do açúcar estão sendo negociados perto de uma alta de cinco anos, já que os preços do etanol estão em alta histórica.

Penna disse que a Jalles não está procurando outra planta, mas uma das plantas que eles viram é controlada pela IACO Agricola, pelo banqueiro André Esteves e pelo Grendan Group, e comercializada pelo BTG Paxuval.

Quando questionado sobre o pedido, o BTG Pactual se recusou a comentar.

Nos últimos dois anos, a situação financeira das empresas que estão inativas há muitos anos melhorou devido ao aumento dos preços, disse André Curie, chefe do banco comercial do Citi no Brasil.

“Os números de EBITDA estão muito altos e eles conseguiram reduzir a dívida. As empresas estão em boa forma agora”, disse.

No geral, o Brasil tem capacidade para moer cana de reposição porque os preços mais baixos do açúcar e do etanol na década anterior reduziram a área de cana-de-açúcar, pois os agricultores mudaram para culturas mais lucrativas, como soja e milho.

O grupo industrial UNICA diz que as usinas centro-sul do Brasil têm capacidade para moer cerca de 840 milhões de toneladas de cana-de-açúcar por ano, mas os rendimentos deste ano são estimados em apenas cerca de 540 milhões de toneladas.

Por exemplo, a planta comprada pela Jalles Machado tem capacidade para moer 2,7 milhões de toneladas, mas atualmente só moe 2 milhões de toneladas, disse Penna.

Pedro Fernandez, diretor de agronegócios do Itaú BBA, um banco de investimentos, disse que a safra de cana-de-açúcar agora tem espaço para crescer nos próximos anos devido à alta demanda por etanol. Ele acredita que a migração da cultura da cana-de-açúcar para os grãos chegou ao fim.

READ  Seis medalhistas de ouro na seleção brasileira de qualificação para a Copa do Mundo

“Os preços atuais tornam a cana-de-açúcar mais lucrativa para agricultores e processadores”, disse ele, acrescentando que as plantações de cana-de-açúcar do Brasil podem crescer em 2023, 2024 e 2025.

Inscreva-se agora para ter acesso gratuito e ilimitado ao Reuters.com

Reportagem de Marcelo Dixira; Edição de David Gregório

Nossos padrões: Princípios de Confiança da Thomson Reuters.