Setembro 16, 2021

FVO Site

Encontre as últimas notícias do mundo de todos os cantos do globo no site FVO, sua fonte online para cobertura de notícias internacionais.

Leilão do aeroporto do Brasil pronto para o sucesso – especialistas

O leilão da oferta do aeroporto está marcado para julho no estado de São Paulo, e especialistas afirmam que o governo federal vai atrair mais interesse no segundo trimestre do ano que vem.

“Havia uma preocupação no mercado sobre se haveria interesse nesses ativos [in auctions last year] Houve muito interesse. Portanto, se houver interesse no auge da maior crise do setor de aviação, “os licitantes deverão ser encaminhados para o sétimo turno no ano que vem”, disse Ricardo Fenelon Jr., ex-advogado e ex-diretor do Comitê de Vigilância da Aviação Civil.

O estado de São Paulo está leiloando 22 aeroportos em julho, enquanto o governo nacional planeja leiloar 16 licitações na sétima rodada do 1T22, incluindo o amado Santos Dumont no Rio de Janeiro e o Congohas em São Paulo.

Os aeroportos federais serão oferecidos em blocos, conectando os aeroportos solicitados e menos rentáveis. Os investimentos totais devem chegar a R $ 5,3 bilhões (US $ 1,1 bilhão).

“Em termos de licitações, o modelo teve muito sucesso porque tivemos interessados ​​e prêmios expressivos em todas as rodadas. Sempre tivemos a participação dos grupos internacionais mais relevantes, o que justifica o processo”, disse Phenlon Jr.

Elton Fernandes, professor de engenharia da Universidade do Rio de Janeiro, está otimista com os ativos de Santos Dumont e do Congo por serem “aeroportos altamente lucrativos e os mais adequados na malha aérea brasileira” por criticar fortemente o modelo .

“Esse processo de loteria é mera arrecadação e atividade política do governo brasileiro. Não tem nada a ver com o futuro da aviação. Esses leilões têm um caráter ideológico. Esse processo não é baseado em pesquisa e planejamento da aviação”, disse à Binamerikas .

READ  Burnley se junta ao ala brasileiro comandado pelo pai de Neymar!

“Não acredito que haja falta de capital. Olhando as perspectivas de receita, o que falta são juros. O governo sempre subestima o valor explorador da propriedade pública para declarar prêmios gordos.”

No entanto, os dois especialistas concordaram que o leilão seria benéfico.

Phenelone Jr. disse: “A companhia aérea está muito focada na oferta e na demanda, e a demanda ainda é forte no Sudeste, no Centro-Oeste e em algumas partes do Nordeste do Brasil. A oferta simples não muda isso. Acho que trazer empresa privada e mais investimentos é muito positivo para o crescimento do setor. ”

Fernandez acrescentou: “Atualmente não há dificuldade em administrar muitos operadores privados, principalmente porque o controle de tráfego aéreo é centralizado e a capacidade instalada não está sob pressão”.

No entanto, “as companhias aéreas devem se adaptar a essa diversidade e negociar operações nos aeroportos com diferentes operadoras”.

Os aeroportos federais leiloados são Belém em Farah, Maccabe em Ameba, Zagrebaku no Rio de Janeiro, Uberlândia em Minas Gerais, Combo de Marte em São Paulo e Ponta Bore em Matteo Grosso do Sul.