Maio 24, 2022

FVO Site

Encontre as últimas notícias do mundo de todos os cantos do globo no site FVO, sua fonte online para cobertura de notícias internacionais.

Importação de trigo no Brasil não morria por conta da luta dos cobradores de impostos

SÃO PAULO, jan. 6 (Reuters) – O sindicato brasileiro Abridrico disse na quinta-feira que não poderia interromper imediatamente as exportações de trigo para seu principal porto em Santos por causa dos protestos de coletores de impostos agrícolas como parte de uma campanha por salários mais altos.

Rubens Barbosa, presidente da Abridrico, disse à Reuters que dois navios transportando trigo importado atrasaram suas operações de desembarque devido a esforços de financiamento de obras.

Um dos navios foi descarregado, mas o navio ainda não havia sido liberado pelas autoridades, e o outro teve que esperar até que esses procedimentos fossem concluídos para que pudesse ser evacuado.

Inscreva-se agora para ter acesso gratuito e ilimitado ao Reuters.com

O Brasil é um dos maiores importadores de trigo do mundo, comprando seus grãos principalmente da Argentina. No entanto, o Brasil acaba de colher a safra de trigo e exporta grandes quantidades do produto.

Não ficou imediatamente claro se o impacto total do atraso ou quais empresas foram afetadas. Abidrigo disse que o Ministério da Agricultura do Brasil está trabalhando para resolver o problema.

O ministério disse à Reuters que está discutindo a questão e seu impacto potencial.

“Se necessário, medidas serão tomadas para proteger o padrão dos serviços afetados”, disse a empresa em um comunicado, sem fornecer detalhes.

A Autoridade Portuária de Santos e a Associação dos Coletores de Tributos não responderam imediatamente aos pedidos de comentários da Anffa Sindical.

A APPA, uma associação local que representa exportadores de aves e suínos, não relatou o problema específico, mas disse à Reuters que espera que a situação das regras de trabalho seja “resolvida rapidamente” e que os auditores fiscais entendam a necessidade de um fluxo comercial regular. .

READ  As pessoas na floresta amazônica do Brasil estão mais uma vez sofrendo com as inundações

A Anec, associação que representa exportadores de grãos, e o Cecafe, um grupo da indústria do café, disseram que as exportações de soja, milho e café ainda não foram afetadas.

Inscreva-se agora para ter acesso gratuito e ilimitado ao Reuters.com

Relatório de Roberto Zamora; Escrito por Gabriel Arrojo; Edição de Kirsten Donovan e Paul Simao

Nossos padrões: Princípios de confiança da Thomson Reuters.