Maio 22, 2024

FVO Site

Encontre as últimas notícias do mundo de todos os cantos do globo no site FVO, sua fonte online para cobertura de notícias internacionais.

Festival de Cinema do Rio se recupera com grande sucesso de Vera Egito e Karolina Markovic

Festival de Cinema do Rio se recupera com grande sucesso de Vera Egito e Karolina Markovic

“A Batalha da Rua Maria Antônia”, de Vera Egito, recebeu o principal prêmio Redentor de filme de ficção do Festival Internacional de Cinema do Rio de Janeiro 2023, que encerrou a edição deste ano no último final de semana, consolidando seu status de maior festival da América do Sul e um dos mais importantes do mundo. Uma vitrine de produtos brasileiros.

O festival sediou a estreia mundial de 40 longas-metragens brasileiros e quatro séries de televisão. A sua competição, que reflete a força industrial do país, inclui 54 filmes locais selecionados entre 318 inscrições.

“A Batalha da Rua Maria Antonia”, uma série de 21 longas imagens filmadas em filme preto e branco 16mm, retrata a vida real dos estudantes da Faculdade de Filosofia da Universidade Estadual Paulista em 1968. Oposição à então ditadura militar no Brasil.

“Dole”, de Karolina Markovic, dividiu melhor atriz para Maeve Zingings com Grace Basso por “O tia que de alem” e ator (Cauva Alvarenga). “O dia em que te conheci”, de Andre Novas Oliveira, também ganhou o Prêmio Especial do Júri.

Lilla Halla ganhou o prêmio de Melhor Diretor por “Levente”, enquanto Evgenia Alexandrova ganhou o prêmio de Fotografia por “Sem Coraco” e Kudo Parente ganhou o Roteiro pelo vencedor do filme narrativo internacional de Tribeca 2023, “A Strange Path”.

“Otelo, O Grande”, de Lucas Rossi dos Santos, sobre Grande Otelo, considerado o comediante afro-brasileiro mais importante do país, pega Doc Kudo.

Um dos destaques do festival é um número significativo de reportagens sobre a floresta amazônica e os povos indígenas brasileiros.

O documentário “Somos os Guardiões” codirigido por Etivan Guajajara, do povo indígena Araripoya, e Chelsea Green e Rob Grobman, dos EUA, teve sua estreia brasileira no Rio Fest. O documentário, produzido por Leonardo DiCaprio, teve uma forte carreira em festivais e está programado para estrear no serviço de streaming no início do próximo ano.

READ  A Colômbia foi derrotada pelo Brasil na Copa América e já está focada no confronto crucial contra o Canadá

“Somos os Guardiões” foca na destruição da floresta amazônica e nos esforços da população local para salvá-la, um grupo conservacionista formado por nativos Araripoya e que impede as atividades dos madeireiros em sua reserva.

A atuação inicial de Edivan Guajajara na produção foi como tradutor e fixador. Greene e Grobman ficaram tão impressionados com seu trabalho que, por epidemia, ele foi promovido a diretor associado.

“Meu trabalho não é fácil. Seguimos a equipe de segurança enquanto eles perseguiam os madeireiros ilegais no meio da floresta”, disse Ediwan Kujajara. Variedade.

O documentário “Raoni – Uma Amizade Improvável”, de Jean-Pierre Dutilleux, conta a história de uma amizade de 50 anos entre o diretor belga e o líder do povo indígena Kaipo. Dutilleux documenta Rowney desde 1970 e viaja pelo mundo com ele. Seu trabalho ajudou Rowney em sua campanha bem-sucedida para expandir a área da reserva na parte sul da floresta amazônica.

O documento “Tchau Tchau Amazônia”, do veterinário Neville de Almeida, também teve estreia mundial no Rio Fest. O documento alerta para a rápida destruição das florestas e apela à acção.

“Nosso filme adota a perspectiva dos povos tribais. É um protesto contra o desmatamento da Amazônia. Como cineasta, é meu dever alertar o mundo sobre o que está acontecendo aqui”, disse De Almeida. Variedade. O diretor de 82 anos dirigiu o filme “A Dama no Ônibus”, de 1978, que tem o maior BO entre os longas brasileiros.

Estevão Ciavatta estreou no festival palestra “Línguas da Nossa Língua” sobre as línguas faladas no Brasil. O documento lança luz sobre a diversidade de línguas dos povos indígenas que sobreviveram ao colonialismo português.

“O Brasil tem uma situação única. Embora cerca de 98% de sua população fale português, o Brasil tem a maior diversidade linguística. Aqui são faladas mais de 170 línguas, a maioria das quais são indígenas”, disse Ciavata. Variedade.

O documentário “Posto Avancato”, de Edoardo Morabito, coprodução Brasil-Itália, retrata a jornada de Christopher Clark, ambientalista escocês que lutou pela criação de uma reserva natural nos estados do Acre e Rondônia, na floresta amazônica.

READ  Cronograma do Philadelphia Eagles 2024: estreia no Brasil, depois lenta propagação de adversários nos playoffs

“Decidi fazer este documentário porque a destruição da floresta amazônica é uma preocupação para todos os cidadãos do mundo”, disse Morabito. Variedade.

A programação do festival também incluiu “Rio da Tuvita”, de Joel Pizzini, sobre a viagem do presidente dos EUA, Theodore Roosevelt, à Amazônia, e “A Flor da Pureza”, dirigido por João Salavisa e Renee Nader Mesora, sobre o povo indígena Craho, que causou polêmica. Em Cannes.

Flor de pureza
Cortesia do Festival de Cinema de Cannes