Outubro 17, 2021

FVO Site

Encontre as últimas notícias do mundo de todos os cantos do globo no site FVO, sua fonte online para cobertura de notícias internacionais.

Explicado: Por que o Brasil fala primeiro na Assembleia Geral das Nações Unidas

Durante o debate público semanal, que começou na terça-feira, delegados de todo o mundo, incluindo o primeiro-ministro Narendra Modi, farão uma palestra na Assembleia Geral das Nações Unidas (AGNU) em Nova York. De acordo com uma lista de oradores provisórios divulgada pela AGNU, o primeiro-ministro Modi deve falar em 25 de setembro.

Durante a discussão, que será amplamente considerada como um destaque da reunião anual, as discussões se concentrarão no impacto da epidemia do governo, mudança climática e conservação.

Tradições de longa data ainda regem muitas das práticas seguidas pelas Nações Unidas hoje. Da ordem dos palestrantes à duração de seus discursos, tudo se enquadra em um complexo conjunto de tradições e leis. A discussão geral do corpo é dividida em duas seções a cada dia – sessão da manhã e sessão da tarde.

Todos os anos, desde a 10ª AGNU em 1995, o Brasil se dirige à primeira delegação, seguido pelos Estados Unidos. Após os dois primeiros discursos, a ordem dos palestrantes não foi ajustada e baseou-se em fatores como o nível de representação e a importância do palestrante como representante do país.

Mas por que o Brasil fala primeiro?

O Brasil foi o primeiro palestrante no Debate Geral Anual da AGNU por mais de seis décadas. Embora alguns presumam que a sequência é determinada em ordem alfabética, esse não é o caso. Essa tradição remonta aos primeiros anos das Nações Unidas, após sua formação imediatamente após o fim da Segunda Guerra Mundial.

Naquela época, a maioria dos países relutava em se dirigir à sala no início. Na época, só o Brasil se ofereceu para falar primeiro.

Alguns dizem que a tradição remonta a antes de 1947, quando o principal diplomata do Brasil, Oswaldo Aranha, presidia a primeira sessão extraordinária da legislatura. Ele também foi eleito Presidente da Segunda Sessão da Assembleia Geral. Desde a 10ª sessão em 1955, o Brasil sempre falou primeiro, seguido pelos Estados Unidos, com algumas exceções.

Este ano, o presidente de extrema direita do Brasil, Jair Bolzano, deu continuidade à tradição ao proferir seu discurso inaugural na Conferência Internacional na terça-feira.

Então, por que a América está indo em seguida?

Na lista de palestrantes, os Estados Unidos sempre ficam atrás apenas do Brasil por ser o país-sede. O presidente dos EUA, Joe Biden, discursou na sala na terça-feira, descrevendo sua visão para uma nova era da diplomacia em seu primeiro discurso da AGNU desde que assumiu o cargo no início deste ano.

Qual é a ordem do debate público?

Inicialmente, o debate público foi aberto pela Presidente da Assembleia Geral, este ano a chanceler equatoriana, Maria Fernanda Espinosa Corsez. Posteriormente, o secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, apresentará o relatório anual sobre as atividades da organização. O debate começa depois que o presidente faz um discurso.

READ  Polla mostra que Lula tem uma vantagem mais forte do que Bolzano na corrida Brasil de 2022

Como a ordem dos alto-falantes restantes é determinada?

Depois dos Estados Unidos e do Brasil, a escolha dos palestrantes depende de muitos fatores. Normalmente, essa ordem é determinada pela qualidade dos delegados – chefes de estado, chefes de governo, príncipes herdeiros e chanceleres estarão nos palestrantes iniciais, seguidos por delegados e embaixadores.

Outros critérios, como equilíbrio geográfico, também desempenham um papel na determinação da ordem.

Boletim de Notícias | Clique para obter as melhores descrições do dia na sua caixa de entrada