Maio 22, 2024

FVO Site

Encontre as últimas notícias do mundo de todos os cantos do globo no site FVO, sua fonte online para cobertura de notícias internacionais.

Brasil: Em meio a greves universitárias, trabalhadores do setor público de São Paulo protestam contra a privatização

Brasil: Em meio a greves universitárias, trabalhadores do setor público de São Paulo protestam contra a privatização

Na última terça-feira, 3 de outubro, trabalhadores de cinco ferrovias da Companhia Metropolitana de Trens (CPTM) de São Paulo, de cinco linhas de metrô e da Companhia de Águas e Saneamento (Sabesp) realizaram uma greve de um dia contra o amplo plano de privatização de São Paulo. Governador de Direita, Darcísio de Freidas.

Legislativo aprova greve estudantil na USP em 18 de setembro [Photo: Adusp]

A greve ocorre em meio a uma série de greves que eclodiram no maior e mais rico estado de São Paulo, no Brasil, nas últimas semanas. Em particular, os estudantes da Universidade de São Paulo (USP), a maior universidade da América Latina, com quase 100 mil estudantes, estão em greve desde 18 de setembro contra a escassez de professores e as políticas de retenção de estudantes na universidade.

No dia 27 de setembro, os professores da USP também entraram em greve, enquanto no dia 3 de outubro os funcionários da universidade fizeram uma paralisação.

Na Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), os funcionários estão em greve desde o final de agosto contra aumentos salariais e instalação de cartões de ponto eletrônicos. Estudantes da UNICAMP fizeram uma paralisação na última terça-feira na USP em solidariedade aos funcionários da universidade e à greve, ao decidirem entrar em greve contra a deterioração da educação e a falta de professores e infraestrutura.

Os ataques que agora enfrentam trabalhadores e estudantes têm sido sistematicamente encorajados por todas as facções políticas da classe dominante durante anos, à medida que a liderança pseudo-esquerda dos sindicatos e das organizações estudantis procura reunir a oposição contra o actual governador de São Paulo.

Mais recentemente, políticas de privatização e destruição de serviços sociais foram lideradas pelo Partido Social Democrata Brasileiro (PSDB) no estado de São Paulo, particularmente pelo ex-governador Geraldo Alcmin, que ocupou o cargo durante 12 anos.