Julho 5, 2022

FVO Site

Encontre as últimas notícias do mundo de todos os cantos do globo no site FVO, sua fonte online para cobertura de notícias internacionais.

AWS faz parceria com agência espacial brasileira para impulsionar indústria espacial

O Centro Espacial de Alcântara é o principal local de lançamento do Brasil. (ASCOM/Foto MCTIC/Odjair Baena)

A Amazon Web Services e a Agência Espacial Brasileira estão unindo forças para apoiar o crescimento de longo prazo da indústria espacial no maior país da América Latina.

A declaração de intenção estratégica e cooperação, assinada pela AWS e a agência espacial (conhecida em português como Agência Espacial Brasileiraou AEB), segue acordos semelhantes que a Amazon fez com Grécia e Cingapura.

Mas o Brasil é um caso de maior repercussão: no ano passado, autoridades brasileiras de espaço e defesa anunciaram que a Virgin Orbit realizar lançamentos orbitais do Centro Espacial de Alcântara no país. O Brasil também participa do Programa da Estação Espacial Internacionale assinou contrato com a NASA Acordos de Artemis para exploração lunar.

“O governo brasileiro está pronto para ajudar a fornecer capacidade para Artemis”, disse Peter Marquez, chefe de política espacial da AWS, ao GeekWire. “Adoraríamos ajudar nessas áreas tradicionais, mas, além disso, a jornada de chegar à Lua, bem como desenvolver outras capacidades no Brasil, apresenta a oportunidade de aumentar ainda mais a comunidade espacial brasileira comercialmente”.

O acordo recém-assinado, que também envolve a colaboração com a embaixada do Brasil nos Estados Unidos, estabelece três iniciativas destinadas a apoiar as atividades espaciais do Brasil.

A AWS oferecerá às partes interessadas do setor espacial acesso a créditos de processamento de dados, treinamento técnico e suporte empresarial por meio de um programa chamado Brazil/AWS Space Collaboration for the Economy and Development, ou B/ASCEnD, Outra iniciativa criará um repositório centralizado de dados espaciais. A terceira iniciativa reunirá representantes da AWS e da agência espacial brasileira para discutir políticas e estratégias regulatórias em apoio aos objetivos espaciais do Brasil.

Cópias da declaração recém-assinada de intenção estratégica e cooperação são exibidas pelo chefe espacial brasileiro Carlos Augusto Texeira de Moura; Nestor Forster Jr., embaixador do Brasil nos EUA; e Max Peterson, vice-presidente do setor público mundial da Amazon Web Services. (Foto AWS)

Marquez disse que a educação é uma grande parte da parceria: “Estamos comprometidos em fornecer educação para estudantes, educação para pessoas na indústria, educação para o governo sobre como você usa ferramentas da AWS – em geral, os recursos que computação e armazenamento em nuvem e IA e ML [machine learning] e todas essas coisas proporcionam”, disse.

READ  Aumento do desmatamento na Mata Atlântica no Brasil: Relatório

O embaixador do Brasil nos EUA, Nestor Forster Jr., disse em postagem no blog que as iniciativas trarão “maior integração do setor privado brasileiro e de nossa indústria aeroespacial com o ecossistema de inovação americano, o mais avançado do mundo na área espacial”.

Carlos Augusto Texeira de Moura, presidente da Agência Espacial Brasileira, classificou o acordo com a AWS como “um passo importante para a promoção de nossa indústria espacial, em um momento em que o Brasil pretende entrar mais fortemente no mercado espacial, como, por exemplo, em o segmento de acesso ao espaço, com o espaçoporto de Alcântara.”

No que diz respeito à AWS, Marquez essencialmente disse que o céu é o limite.

“Há software e hardware que o governo precisa”, disse ele. “E como você já ouviu muitas vezes antes, a Amazon como um todo é obcecada pelo cliente. Então, se o governo brasileiro precisar de apoio nessas áreas, seja capacidade de estações terrestres ou apoio para desenvolver um programa de lançamento, essas são coisas sobre as quais falaremos com eles e buscaremos essas oportunidades. Estamos nas fases iniciais disso.”