Agosto 16, 2022

FVO Site

Encontre as últimas notícias do mundo de todos os cantos do globo no site FVO, sua fonte online para cobertura de notícias internacionais.

A volatilidade do mercado está forçando os limpadores do Brasil a engavetar ofertas de ações

Os planos de duas empresas brasileiras de limpeza usarem ofertas de ações para financiar seu crescimento encontraram um obstáculo na forma de forte volatilidade do mercado.

“A situação atual do mercado de capitais, com sua combinação de altas taxas de juros, inflação e a aproximação [October] As eleições criaram dificuldades para essas operações”, disse Alexandre Pierantoni, chefe de finanças corporativas da consultoria de risco Krolin Brasil, à BNamericas.

A BRK Ambiental Participações agora suspendeu seu plano de IPO, dias após o estado do Rio Grande do Sul cancelar a privatização de sua companhia de água Corsan, disse uma pessoa familiarizada com o assunto à BNamericas sob condição de anonimato.

Em ambos os casos, a venda de ações é utilizada para fortalecer as posições de caixa da empresa para acelerar investimentos futuros.

Em junho, quando a BRK apresentou um prospecto inicial de IPO junto ao órgão regulador de valores mobiliários do país (CVM), disse que os recursos seriam usados ​​para acelerar o crescimento por meio de aquisições e leilões de contratos de concessão.

A Brookfield Business Partners detém 70% da BRK, enquanto o FI-FGTS, fundo de investimento administrado pela Caixa Econômica Federal, controla o restante.

Para Ghorson, o plano é que o governo detenha uma participação minoritária em uma empresa privatizada.

O governo estadual planeja retomar o programa de privatizações assim que a volatilidade do mercado diminuir.

Além do ambiente global de altas taxas de juros, as próximas eleições no Brasil também estão causando preocupação para os investidores em ações.

“Para mim, a principal preocupação dos investidores hoje está ligada à eleição, porque não há clareza sobre o que vem depois da eleição, diante de uma disputa tão polarizada”, disse Alex Agostini, economista-chefe da Austin Ratings, uma empresa de classificação local. disse BNamericas.

READ  Como GOL e Azul lutam pela integração regional brasileira

Os brasileiros vão às urnas em outubro para votar em presidente, governadores de estado e parlamentares.

Com o ex-presidente de esquerda Luiz Inácio Lula da Silva liderando em todas as pesquisas recentes, os investidores estão começando a perguntar o quanto uma vitória de Lula mudaria as políticas pró-mercado do presidente Jair Bolsonaro.

Bolsonaro, por outro lado, questionou repetidamente as urnas eletrônicas do país, levantando temores de que ele não honrará um resultado desfavorável.