Outubro 17, 2021

FVO Site

Encontre as últimas notícias do mundo de todos os cantos do globo no site FVO, sua fonte online para cobertura de notícias internacionais.

A popularidade de Bolzano continua caindo antes da corrida de 2022 no Brasil, de acordo com pesquisas de opinião

Brasilia O ex-presidente de esquerda brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva está significativamente à frente do presidente de extrema direita Jair Bolsanaro no comparecimento às urnas para as eleições de 2022, mostraram pesquisas de opinião na sexta-feira.

Em julho, o eleitorado de Lula caiu de 46% para 44%, e o de Bolsanaro ganhou um ponto percentual para 26%, segundo pesquisas de opinião.

Em uma corrida simulada entre os dois, Lula teria 56% dos votos, ante 31% a favor de 31% -31% na última pesquisa. A primeira variação desde julho caiu no escopo do erro da pesquisa.

Outras pesquisas sugerem a clara vantagem de Lula, como aumento da inflação, alto desemprego e declínio da popularidade de Bolsanaro devido à sua manipulação da segunda erupção COVID-19 mortal do mundo.

No entanto, nenhum candidato anunciou oficialmente sua candidatura para as eleições de outubro de 2022.

Em um comício em Bolsanaro em 7 de setembro, Datafol disse que buscar apoio no conflito com a Suprema Corte não mudou as perspectivas para a eleição.

Candidatos centristas não estão sofrendo, e partidos decepcionantes exigem uma terceira opção para quebrar a disputa polarizada Lula-Bolzano. Grupos de direita que convocaram um comício “Lula Nor Bolsanaro” em 12 de setembro não conseguiram atrair grandes multidões em São Paulo.

O eleitorado de Siro Gomes, do Partido Democrático dos Trabalhadores (PDT), de centro-esquerda, e dos governadores João Toria e Eduardo Light, do Partido Social Democrata Brasileiro (PSDB), de centro-direita, é de um dígito.

O Datafolha disse que suas avaliações positivas caíram de 24% para 22%. A pesquisa não repercutiu entre os eleitores preocupados com os ataques de Bolsanaro à Suprema Corte, o aumento dos preços e a escassez de empregos.

A pesquisa Datafolha aconteceu de 13 a 15 de setembro e entrevistou 3.667 pessoas em todo o Brasil, um aumento ou uma queda com uma margem de erro de dois pontos percentuais.