Música

Edu Falaschi apresenta show épico tocando clássicos do Angra ao lado de convidados especiais

Kai Hansen, vocalista da banda Helloween, foi o convidado especial da noite
Edu Falaschi apresenta show épico tocando clássicos do Angra ao lado de convidados especiais
Kai Hansen do Helloween foi um dos convidados da noite (Foto: Karla Sthefany/FVO Site)

O Carioca Club, consagrada casa de shows na capital paulista, recebeu no último dia 23 o ex-vocalista do Angra, Edu Falaschi, em sua turnê cheia de lembranças para muitos e um sonho para os fãs mais novos, que é ouvir os clássicos do Angra na voz do mesmo.

Para desempenhar tamanha façanha, Edu convidou dois ex-companheiros de banda, o baterista Aquiles Priester e o tecladista Fábio Laguna, completando a formação com Diogo Mafra e Roberto Barros nas guitarras e Raphael Dafras no baixo. A noite era de festa e celebração de mais de 10 anos de carreira no Angra e a casa estava cheia, show com ingressos esgotados e ânimos exaltados, todos ansiosos para apreciar o bom e velho heavy metal Made in Brazil. O projeto abrange todo os álbuns na fase do Edu, passando pelo seu debult Rebirth (2001) até o Aqua, sem deixar nem mesmo o EP Hunters and Pray de lado.

A banda de abertura ficou por conta do power trio Acid Tree, que apresentaram um heavy metal bem cru e ao mesmo tempo bem cadenciado, lembrando muitas bandas dos inícios dos anos 80. O público os recebeu muito bem, sendo ovacionados ao final de sua apresentação, mas eles sabiam que a noite não era deles, o que não tirou um enorme sorriso no rosto de cada um ao serem extremamente bem recebidos.

O show estava previsto para começar às 20:00, teve um leve atraso, mas nada que tirasse o ânimo da plateia que estava ansiosa pela apresentação da banda. Já na introdução, toda a banda já estava a postos e o set do Aquiles estava maior do que nunca, não é a toa que seu apelido é Polvo.

A música de abertura deu uma pequena amostra de como seria a noite, já que ‘Nova Era’ foi uma das faixas mais poderosas e otimistas do Rebirth, e a banda se mostrou afiadíssima e com muita presença de palco. O trio de cordas estava mais do que a vontade no palco, agitando com o público e mostrando porque vieram, então o dono da noite entra no palco e me lembrou dos tempos que eu acompanhava a banda em 2001-2004. Edu sempre com um baita sorriso no rosto, feliz por estar onde está, e sua voz impecável executando na sequência outra grande composição do Rebirth, ‘Acid Rain’, primeiro single da banda com o Edu nos vocais, daí a plateia foi ao delírio gritando, cantando, pulando e era nítido como a banda recebia muito bem a energia do público a sua frente.

Edu Falaschi apresenta show épico tocando clássicos do Angra ao lado de convidados especiais
Diogo Mafra, Edu Falaschi e Roberto Barros (Foto: Karla Sthefany/FVO Site)

A primeira surpresa da noite para aqueles que acompanham a banda desde 1998 foi a ‘Eyes of Christ’ do EP Hunters and Prey, e não é comum as bandas executarem as músicas de seus EP’s mas esta era uma noite especial. A calma e cativante ‘Wishing Well’ deu uma acalmada na galera, pois a noite ainda prometia muito.

Edu trouxe muito mais que as músicas do Angra, ele também levou convidados mais do que especiais e o primeiro da noite foi o Thiago Bianchi para cantar ‘Angels and Demons’ do Temple of Shadows.

‘Heroes of Sand’, ‘Unholy Wars’, ‘Arising Thunder’ e ‘Milenium Sun’ eram músicas que não podiam e nem deveriam ficar de fora, a felicidade e emoção dos fãs mais antigos e o olhar de deslumbre dos mais jovens era evidente, e para mim a surpresa veio com ‘Late Redemption’ e com a balada mais animal que o Angra já compôs ‘Bleeding Heart’ (Hunters and Pray), além da ‘Live and Learn’, na verdade Edu executou o Hunters and Pray quase que na íntegra, faltando apenas a faixa-título.

Tenho que fazer um parágrafo em especial para uma das melhores composições do heavy metal nacional que é ‘Shadow Hunter’ do álbum Temple of Shadows de 2004, uma música extensa e complexa, exigindo do Edu todo o seu alcance vocal, e o lugar fervia, mas não impediu que o caçador de sombras realizasse seu trabalho. Ele executou com tamanha maestria que me levou de volta para o show de 2004 no Via Funchal na turnê de lançamento do ToS, foram 8 minutos de muita emoção e recordações de outros tempos, de outras casas de show, o que no final das contas é o proposito desta turnê.

14 músicas depois, um solo de bateria de mais de 5 minutos, muito suor e quase nenhuma voz, Edu sobe no palco para anunciar a próxima música e o próximo convidado, ao chamar ‘Temple of Hate’ com Kai Hansen meu coração congelou por um breve momento, pois eu veria no palco o idealizador do que chamamos hoje de power metal, um dos fundadores do Helloween e Gammaray. Música executada, Kai mostrando que ainda está com tudo, interagindo com a banda, com o público e com o seu bom e velho sorriso no rosto, Kai é um cara que sempre está com cara de muitos amigos, sorrindo, conversando e brincando com o público, em quase 20 anos acompanhando esses caras eu nunca vi o Kai de cara fechada.

Edu pergunta se alguém gosta de Gammaray, com a resposta positiva, subiram 2 figuras ao palco, a Tonka Raven e o nosso conhecido Bruno Sutter para cantar o hino ‘Rebelion in Dreamland’, foram 8 minutos de puro regozijo auditivo e quando você pensa que a noite não poderia ficar melhor eles emendam o clássico dos clássicos do heavy metal ‘I Want Out’ do Heloween.

Edu Falaschi apresenta show épico tocando clássicos do Angra ao lado de convidados especiais
Foto: (Karla Sthefany/FVO Site)

Kai e Tonka saem de cena e Edu fica e apresenta a banda e fala com o público sobre o projeto, como ele foi idealizado e faz uma emocionante homenagem a seu irmão Tito Falaschi, e para quem não sabe, Edu sofreu sérios problemas de saúde e quase abandonou sua carreira por completo, mas seu irmão sempre o apoiou e o ajudou, fortalecendo e levando o Edu de volta aos palcos. Os dois executaram a faixa título do seu primeiro álbum no angra, ‘Rebirth’, que era muito mais que uma música naquele momento, representava o renascimento de Eduardo Falaschi como músico, foi um grande momento (para ficar perfeito só faltou cantarem algo do Symbols juntos).

Para fechar a noite com chave de ouro ‘Spread your Fire’ veio e mostrou que tanto a banda como as 2 mil pessoas que lotaram o carioca, ainda estavam cheios de energia e que a noite foi um sucesso incontestável.

Foram mais de 2 horas de pura nostalgia e bons momentos, houveram algumas falhas técnicas durante o show mas nada que viesse a atrapalhar a noite. A Turnê ‘Rebirth of Shadows’ só prova que a melhor coisa que o Edu fez foi sair do Angra e seguir com a sua carreira do seu jeito, usando o seu timbre e sabendo até onde ele consegue ir, sem arriscar sua saúde, tanto o Almah quanto este projeto do Edu, mostra que o metal nacional não está morto e que quem foi rei jamais perde sua majestade.

Colaborou, em São Paulo: Luciano Julio

 

Confira a galeria de fotos:

Este slideshow necessita de JavaScript.